12 fevereiro 2013

CASA FECHADA # 2 [letra para fado]


Naquela rua esquecida 
Em padrão enferrujado
Há uma porta subida 
A resguardar de quem passa 
Fita-colas nas vidraças e 
Um jardim abandonado 

Numa floreira vazia 
Restou olvidado um vaso 
Onde outrora rescendia 
Uma rubra sardinheira 
Suspirando a tarde inteira 
Pelos bálsamos do ocaso 

E lá pelo fim da tardinha 
Em ânsias de me abraçar 
Vinha à porta da cozinha 
A minha mãe de avental 
Gritando a todo o quintal: 
Limpa os pés antes d’entrar 

Com os olhos bem brilhantes 
Pela ternura apetecida 
Eu chegava num instante 
A essa porta saudosa 
Onde já só o silêncio mora 
Naquela rua esquecida 

Nota: "A Casa Fechada" é um fado interpretado por António Zambujo (CD Quinto, 2011) e da autoria de João Monge e José Marques. Fotografia: © Eduardo Serrano.