02 setembro 2010

VIA PARENTÉRICA

Ao amarelo-torrado
De um semáforo em ânsia
Ela ligou a importância
De uma coisa assim-assim.
[O mesmo é dizer a mim]

Depois guinou à esquerda,
Pela Via Parentérica,
A tonalidade feérica
De um sorriso sem fim.
[O mesmo é dizer em mim]

O embate com os olhos
Foi um acidente de rua,
© Fotos Pedro Serrano: (1) Shigoe (Japão) 2006; (2) Lisboa, 2008
Janelas voando à luz da lua
No éter da noite de Verão.
[E eu atropelado no chão]


"Não sei porque raio isto foi...
Quer que lhe chame um doutor?"
"Não.., preferia um ascensor
Ou uma torre de marfim."
[É qu’eu ainda não estava em mim]