01 abril 2010

AO SUL DAS COUSAS

                    
Ai, bela senhora minha
Sois tão leda quão daninha
Quando assim vos expressais
E a ponta rubra molhais
De uma língua distraída
Na boca em ósculo fendida.
   
O que em mim despertais,
Revoada de pardais
De uma copa frondosa
Sobre searas de trigo,
É melodia ditosa
Ecos de trova d’amigo
Lá ao sul do meu umbigo.


©Fotografia: Pedro Serrano, Yoyogi Park, Tokyo, 2006