25 agosto 2011

PALAVRAS CRUZADAS


A encantadora menininha da foto (os seus 3 ou 4 anos) rondava, a  distância prudente, o carrinho do bebé, morta por espreitar lá para dentro. Nas minhas costas, a mãe da menininha, invectivava-a a ser correcta:
“Vá, filha, pergunta à senhora se podes espreitar...”
A senhora, que destampava um pequeno Tupperware e se preparava para dar a papa ao bebé, sorria com aquele sorriso orgulhoso e seráfico próprio das mães recentes.
A encantadora menininha não desistia de rondar o carrinho e nas minhas costas a mãe continuava:
“Filha, se queres ver, pergunta à mamã do bebé...”
A mamã do bebé chamou então a encantadora menininha para perto do carrinho e, depois de lhe perguntar o nome, explicou que ia dar a papinha ao bebé.
A encantadora menininha, agora encostada ao carrinho, observava tudo com uns olhos muito atentos e o mais interessante para mim, sentado entre as duas mesas como um porta-aviões de batalha-naval, era ver como a encantadora menininha abria a boca num perfeito círculo de cada vez que a mãe do bebé estendia uma colher de papa na direcção do seu filhote.

© Fotografia de Pedro Serrano, 2011.