21 novembro 2012

MORNINHA


Nuvem que vogas ao sul
Por sobre um mar tão azul
Vai e pergunta por mim

Enamora essa Morninha
Que um dia jurou ser minha
Vai e pergunta por mim

Diz se uma luz de tristeza
Dormita em sua beleza
Quando de través fita o mar

Ventaneia a acácia rubra
Até que seu colo se cubra
De pétalas por desfolhar

Vai, sussurra a essa mulata
Que a saudade me mata
Cá longe, neste cismar

Por sobre um mar tão azul
Nuvem que vogas ao sul
Vai e pergunta por mim


Acácia rubra, © Fotografia de Pedro Serrano, Santiago, Cabo Verde, 2011.