22 setembro 2013

BLUE JASMINE


Blue Jasmine (2013), a última realização de Woody Allen é um filme frouxo, como tem sucedido com todos aqueles que realizou após o excelente Vicky Cristina Barcelona (2008), filme onde Penélope Cruz dá uma lição de representação a Scarlett Johansson e a faz mirrar no ecrã desde o momento em que nele a espanhola aparece pela primeira vez.
Vi Blue Jasmine (por falar nisso: Jasmine é o nome da protagonista e blue refere o seu estado de espírito, mais do que uma cor) na véspera de apanhar o avião para Nova Deli, de modo que não consegui deixar de associar a imagem da fotografia ao filme, passo a descrever os detalhes.
Estávamos sentados na esplanada do Little Prince, um modesto café sobre o Pichola muito recomendado nos guias turísticos, que se encontra separado de outro café com características semelhantes (o Jasmine) somente por um tranquilo templo hindu, guardado e cuidado por umas mulheres que parecem viver lá dentro e às vezes lavam roupa em frente ao portão do templo.

Então, de súbito, levantei a cabeça e reparei na pose melancólica daquela loura sob o letreiro azul que anuncia o outro café e tudo se fundiu na minha mente. Peguei na máquina e disparei à quase queima-roupa, pois momentos daqueles não se repetem num mesmo lugar.

© Fotografias de Pedro Serrano, Udaipur, Setembro 2013.